Eyesight to the Blind - Eric Clapton

Acid Queen - Tina Turner

Tommy avec The Who

A clássica Ópera Rock do The Who conta a história de Tommy que quando pequeno vê o pai ser assassinado pelo amante (Oliver Reed) da mãe (Ann-Magret).

O casal obriga o garoto a esquecer o ocorrido. “Você não ouviu nada, não viu nada! Não dirá nada a ninguém, nunca na vida”. Seria um alusão a ditaduras censurando vozes dissedentes?

Psicologicamente ele se torna cego, surdo e mudo. Como o povo e a imprensa condicionados a omitir, não enxergar e não protestar?

“A doença leva a mente a lugares onde mentes não costumam ir.”

Tommy (Roger Daltrey) cresce, e a mãe, desesperada – e culpada – por ele continuar daquela forma, procura ajuda para a cura do filho em uma igreja de culto ao sexo(com Eric Clapton tocando "Eyesight to the Blind"), enquanto o padrasto busca outras formas e paga para que ele se "divirta" viajando com a Rainha do Ácido (Tina Turner).


Eric Clapton - Tommy Opera Rock

O cego Tommy passa dias olhando os espelhos e o seu interior – depois da busca fora de si, a solução parece estar no seu próprio eu.

O reflexo de Tommy o chama até um ferro velho. E lá está a salvação: uma máquina de pinball (ou a música segundo estudiosos desta ópera rock)

Tommy não se torna apenas o melhor no jogo, mas o mestre. O Mago do Pinball derruba o antigo detentor do título (Elton John) - o que representaria o músicos novos tomando o lugar dos antigos.

Os pais(empresários) aproveitam todo o dinheiro da fama do filho, enquanto em sua mente, ele implora: “Olhe-me, sinta-me, toque-me, cure-me!”. Os chairmans da indústria de entretenimento, talvez assim, como as ditaduras em relação ao povo, ignoram os sentimentos das suas fontes de fortuna, os astros.

A mãe, profundamente satisfeita com a prosperidade material, ou para outros, enfastiada com o sucesso, consegue achar um problema maior em sua vida: a situação de Tommy. Sempre em frente ao espelho sem que possa se ver, ela joga Tommy contra o objeto que se quebra! Ele cai na piscina! Ou seja é dada liberdade criativa para o artista, ele pode se pronunciar da forma que bem entender, sem ter que agradar o nicho de mercado ao qual esta alocado seu produto(sua arte)


Tina Turner- Tommy Opera Rock

“Eu estou livre e liberdade tem sabor de realidade! Estou esperando que vocês me sigam!” – canta Tommy, agora sem mais nenhum problema psicológico.

“Extra! Leiam tudo a respeito! O Mago do Pinball está curado!” – anunciam os jornais.

Há agora muitos seguidores! Todos querem vê-lo.
“Eu sou uma sensação. Eles me idolatram e a tudo que toco, eu sou a luz”. É a imagem do grande astro cercado pelas multidões e pela mída.

“Bem vindos à minha casa, venham para esta casa, beber a noite toda e não dormir”. A casa fica pequena e precisam de um espaço maior. Artistas da revolução cultural aumentaram seu nicho, abrindo as fronteiras dos ritmos, mesclando novas idéias.

Logo as pessoas se revoltam. “Viemos aqui para ser como você e descobrir o que você anunciou”.

“Meu nome é Tommy e tive um despertar interior este ano. Se quiserem me seguir terão que jogar Pinball, com tapa-ouvido, óculos e a rolha para a boca”. Parece dizer: "Se quiserem meu sucesso, vendam-se também ao sistema."

Ele é o "messias" e todos o obedecem, mas novamente se rebelam com toda aquela superficialidade. Quebram todas as máquinas de pinball, e matam os pais de Tommy. A moda atropela a onda de uma banda.

E talvez este seja o momento do real despertar de Tommy.

“Ouvindo você eu tenho a música;
“Olhando para você eu tenho calor;
“Seguindo você, eu escalo montanhas;
“Sinto entusiasmo a seus pés!
“Atrás de você, vejo multidões;
“Sobre você, vejo a glória;
“De você tiro opiniões;
“De você, aprendo história.”

É simplesmente o amor que ele encontra no final!

Tommy – 1975 – é uma adaptação da Ópera Rock de mesmo nome lançada em disco em 1969 pelo The Who. O filme teve duas indicações ao Oscar para Melhor Atriz para Ann-Magret e Melhor Trilha Sonora.

Direção e roteiro de Ken Russell

Fontes: http://mundodefantas.blogspot.com/2009/03/resenha-tommy-o-filme-who.html



Links

Agenda

Em cartaz Cinema

Em cartaz Teatro

Matérias: Live Earth | Disco Classics | Earth, Wind & Fire | Os Fofos Encenam | Laços do Olhar | Rock in Rio | Kool ang Gang | Lenda do Jazz no Brasil | Elizabeth Jobim - Endless Lines | Diana Krall no Brasil | Shows Novembro | Chaka Khan e Branford Marsalis | Gagaku, Bugaku e Shomyo | Cantata no Jockey | Shows 2009 | Madonna no Brasil | Maysa | Elton John | Grammy 2009 | Brit Awards | Simply Red no Brasil | Paul e Michael com ingressos esgotados | Radiohead | Prêmio internacional de fotografia: Sony World Photography | Hot List | Sony World Photography | A procura de um olhar | Burt Bacharach | Shows Abril 2009 | Virada Cultural 2009 | Oasis no Brasil | Terminator Salvation | FAM 2009 | Iggy Pop lança Preliminaries | Grande Álbuns - Michael Jackson | Festival de Inverno de Campos do Jordão 2009 | Shows 2º Semestre 2009 | Grandes Álbuns II | Dinossauros da música eletrônica ressurgem em 2009 | Festival de Cinema Veneza 2009 | Álbuns Clássicos do Jazz | Flashback Mr Groove | Festival Planeta Terra | Donna Summer | Broadway 2009 / 2010 | Programação Festivais - Shows | Festivais Independentes 2010 | Grammy 2010 | Programação Verão 2010 | Brit Awards 2010 | Oscar 2010 | Valleys of Neptune | Albuns - Lançamentos 2009 / 2010 | Nelly Furtado no Brasil | Documentário Loki

Destaques: A volta do Queen | Babyshambles | Cantoras Brasileiras | Cena Eletronica | Clocks | Corinne Bailey | Dig Out Your Soul | Escola do Pop Rock | Horace Silver | Im Takt der Zeit | Keane | Jamie Cullum | John Legend | Julliete & The Licks | Kantata Takwa | Led Zeppelin | Madeleine Peyroux | Michael Jackson - Thriller 25 | Little Boots | Miriam Makeba | Mostra de Arte / Casais | Musicians and Machines | Nara e Fernanda | Nonsense | Oscar Peterson | Paul McCartney | Piaf - Um hino ao amor | Prokofiev | Regentes | Rotciv | Stay | Studio 54 | Yo-Yo Ma | The Heist Series | The Verve - Forth | Vanessa da Mata | Demis Roussos & Aphrodite's Child | Tommy avec The Who | Villa Lobos, Brisa Vesperal

Voltar para página inicial