Moscou à noite
Por: Martin Cruz Smith | Emily Krieger | Foto: Gerd Ludwig Smith

 

 

16:52 A escuridão cai sobre os novos prédios que se erguem ao longo do rio Moscou. Os trabalhadores, muitos deles vindos das ex-repúblicas soviéticas, se revezam durante 24 horas ao dia na construção de um novo bairro empresarial que ostentará o maior arranha-céu da Europa. Foto de Gerd Ludwig - Clique aqui ou na foto para amplia-la.

 

22:59 No opulento restaurante Turandot, Mozart não passa de fundo musical para o consumo de alto luxo que catapultou Moscou ao patamar das mais caras cidades do mundo atualmente. Foto de Gerd Ludwig. Clique aqui ou na foto para amplia-la.

 

 

 

22:45 Anjo da noite, a voluntária Tatyana Sveshnikova presta socorro a um sem-teto perto da estação Kursk. Nos invernos recentes, centenas de desabrigados têm morrido de frio nas ruas da cidade. Foto de Gerd Ludwig - Clique aqui ou na foto para amplia-la

 

20:16 Garotas de programa anunciam o que têm a oferecer no Bordo, um clube fechado freqüentado pela elite financeira e política de Moscou. A prostituição é ilegal na Rússia, mas no Bordo e em clubes similares, o cliente pode alugar um quarto particular com jantar e uma “acompanhante”. Depois disso, diz o gerente do Bordo, “quando fechamos a porta, não nos importamos com o que acontece lá dentro”. Até 200 mulheres prestam serviço ali nos finais de semana, quando os clientes pagam a média de US$ 1.000 por uma noite de prazeres. Foto de Gerd Ludwig - Clique aqui ou na foto para amplia-la

 

 

23:34 O artista plástico German Vinogradov maneja um maçarico para definir o aspecto de sua mais recente paisagem. Ativo na cena underground dos tempos soviéticos, Vinogradov diz: “Não há mais tabus agora”. Foto de Gerd Ludwig - Clique aqui ou na foto para amplia-la

 

 

 

2:39 Dois homens suspeitos de serem imigrantes ilegais se encrencam depois de serem pegos pela polícia por não terem os documentos exigidos. Apesar de a polícia varrer as ruas e os canteiros de obras em busca de trabalhadores ilegais, eles continuam chegando aos montes à capital, desesperados para ficar com uma parte da fortuna repentina da cidade. Foto de Gerd Ludwig - Clique aqui ou na foto para amplia-la

 

00:37 O investigador da polícia atende à reclamação dos vizinhos em relação a um cheiro ruim que sai de um apartamento em Moscou. Lá dentro, encontra o cadáver em decomposição de um senhor de idade, aparentemente morto de causas naturais. O resto da noite do investigador foi tranqüilo. Famosa na década de 1990 por seus crimes violentos, inclusive a mais alta taxa de assassinatos da Europa, Moscou viu seus índices de homicídio caírem muito nos últimos anos; crimes na rua hoje são relativamente raros. Foto de Gerd Ludwig - Clique aqui ou na foto para amplia-la

 

 

 

 

 

Curiosidades

A cada ano, a revista Forbes publica uma lista com os bilionários do mundo; em 2008, Moscou abrigava 74 deles, mais do que qualquer outra cidade no mundo (Nova York vinha em segundo lugar, com 71). O bilionário típico de Moscou é um homem com idade entre mais de 35 anos até 55, com valor líquido médio de US$ 5,9 bilhões. O mais rico da cidade, Oleg Deripaska, fez sua fortuna no setor do alumínio. Avaliado em US$ 28 bilhões, ele é a nona pessoa mais rica do mundo.

A única bilionária mulher em Moscou é a magnata da construção Yelena Baturina. Mulher do prefeito de Moscou, Yuri Luzhkov, ela começou sua carreira como operária. Em 1991, ela abriu a Inteko, primeiro produzindo mobília e depois expandindo para a construção. Outros bilionários de Moscou ganharam dinheiro no setor dos metais e do petróleo.

Apesar de Moscou abrigar dúzias de bilionários, a maior parte de seus cidadãos lutam para sobreviver na cidade que alguns observadores classificam como a mais cara do mundo. Em 2007, o salário médio foi de 28.726 rublos, que corresponde aproximadamente a $1.230.

O prédio Russia Tower, que deve estar pronto em 2012, vai ter mais de 610 metros de altura, com salas comerciais, lojas de varejo, um hotel, restaurantes, apartamentos, pista de patinação no gelo pública, spa e plataforma de observação.

Imagem cedida por Fosters and Partners
Legenda: Russia Tower

O prefeito Yuri Luzhkov é responsável por diversos projetos de obras públicas, inclusive a reconstrução da Catedral de Cristo Salvador, um shopping center subterrâneo na praça Manezh, perto do Kremlin, e monumentos, incluindo um de Pedro o Grande no rio Moscou.

A reconstrução de Moscou foi controversa, porque em sua tentativa de incorporar diversos estilos arquitetônicos, Luzhkov incluiu edifícios que alguns cidadãos consideram medonhos.

Crédito: Gerd Ludwig
Legenda: A catedral de Cristo Salvador
reconstruída depois de os soviéticos a terem derrubado.

Os moscovitas adoram a vida noturna. A cidade de 10,5 milhões de habitantes tem centenas de clubes lotados e bares que, no fim de semana, só fecham quando outros estabelecimentos já estão abrindo para o brunch. Os clientes ricos que há muito desfrutam do entretenimento caro gastam com facilidade mais de mil dólares por noite, mas a crescente classe média ajudou a democratizar a cena dos clubes – a renda real na Rússia dobrou desde 1999, e a classe média hoje forma até um terço da população. Seguranças fazem cumprir um "controle de rostos" elitista, que mantém as pessoas feias e bêbadas demais fora, enquanto deixam entrar as bonitas e as com boas conexões. Visitantes acostumados com a estética da época dos soviéticos ficam surpresos com a beleza e as roupas boas dos moscovitas de hoje. A queda do comunismo permitiu que alguns poucos, apelidados com desdém de "Novos Russos" a consumir de maneira conspícua, e a prática se disseminou para a população em geral.

Outros ramos também estão florescendo. O prefeito Yuri Luzhkov está em uma missão de 16 anos para revitalizar a capital com novos prédios e monumentos, e para manter o progresso e evitar o congestionamento durante o dia, os canteiros de obras de Moscou zunem madrugada afora. Cinco milhões de carros também sobrecarregam a rede concêntrica de vias da cidade. Mas há cada vez menos estrutura para um setor: o do jogo. Muitos representantes do governo, com mais destaque Luzhkov e o primeiro-ministro Vladimir Putin, apóiam uma proposta de lei para retirar o jogo das cidades e concentrar a atividade em quatro zonas especiais nos cantos mais remotos da federação até 2009. Luzhkov há muito critica o jogo e, de modo intermitente, fecha locais que praticam a atividade, e há a declaração pública famosa de Putin em que ele lamentou que o jogo tinha se transformado em problema nacional tão sério quanto o alcoolismo. Mas muitas pessoas desconfiam (ou esperam) que alguma brecha na lei permita que o jogo permaneça na capital.

Moscou quando escurece também se enche de clichês da cidade grande: bêbados, sem-teto, prostitutas, assassinatos. Muitos dos sem-teto sofrem de alcoolismo e com o frio – a cada ano, entre cem e 350 pessoas morrem de hipotermia nas ruas. Apesar de a prostituição ser ilegal, geralmente é tolerada, graças a clientes endinheirados que freqüentam os bordéis da cidade e a força policial acostumada a olhar para o outro lado. Gangues e trapaceiros também atacam alvos fáceis como estrangeiros, bêbados e sem-teto. Mesmo assim, o crime nas ruas é raro na comparação com os homicídios – o número de assassinatos é lendário, apesar de estar caindo nos últimos anos.

Gerd Ludwig Interview by Greer McNally - Clique Aqui

Martin Cruz Smith é autor de "Gorky Park", best-seller que mostrava a União Soviética do início dos anos 1980 pelos olhos de um inspetor da polícia.

Gerd Ludwig é fotógrafo da revista National Geographic e já fez fotos em mais de 70 país em todo o globo, sendo veterano da renomada série de livros “A Day in the Life”, venceu diversos prêmios de fotografia, e frequentemente realiza exposições de suas fotos em galerias de todo o mundo.

Bibliografia

Smith, Martin Cruz. "Moscow Never Sleeps." National Geographic (agosto de 2008), 106-133.
"Background Note: Russia." U.S. State Department.
"Population data." Population Reference Bureau.
"Building a New Rome." Economist (August 24, 2006).
"Live With President Vladimir Putin." President of Russia, October 18, 2007.
Yasmann, Victor. "Russia: Kremlin Sets Its Sights on Gambling." Radio Free Europe/Radio Liberty, October 19, 2006.
Bush, Jason. "What's Behind Russia's Crime Wave." Business Week (October 19, 2006).

Outras fontes de pesquisa:

Moscow. Portfolio.com.
Singer, Natasha. "Not Down and Out in Moscow." New York Times, November 29, 2007.
"Moscow: Rich in Russia." Frontline/World, October 2003.
Wines, Michael. "Moscow Journal; As the Streets Clog Up, Cars Hit the Sidewalks." New York Times, July 25, 1998.
"The World's Billionaires." Forbes.com, March 5, 2008.


Por: Emily Krieger | Foto: Gerd Ludwig
Matéria publicada na Revista National Geographic

 



Amsterdam | Bahamas | Berlin | Délhi, Mumbai, Chennai and Bangalore | Destinos Românticos | Dubai | Fortaleza | Florianópolis | Jerusalem | I Ilha da Madeira | Londres | Los Angeles | Madrid | Mekong | Montreal | Moscou | Munique | New York | Nordeste | Paris | Rio de Janeiro | Salvador | São Petersburgo | Viena | Martinica