Bele Epoque

Toda e qualquer manifestação artística nada mais é do que a expressão pura de seu tempo. E, assim, podemos afirmar que se não fosse pela "belle époque", não teríamos nem ouvido falar sobre o impressionismo.

Após a grande derrota de Napoleão em 1814, a Europa passa por um período mais pacífico do ponto de vista político. A França alcança estabilidade com seu monarca constitucional, Louis-Philippe - o que acaba por proporcionar um clima mais propício para as diversas produções artísticas.

Diplomatas e ministros trabalhavam em prol da expansão da Europa pelo mundo, através não somente da conquista de territórios como também da conquista dos povos, pois todos estavam fascinados pelo avanço cultural e tecnológico europeu.

Fator inicialmente favorecedor da comunicação foi a criação do telefone, do telégrafo, da primeira fábrica Ford e do primeiro dirigível de Santos-Dummont. Depois, a "belle époque" foi iluminada pela lâmpada elétrica, pelos filósofos nietzschianos e pela sexualidade abordada por Freud. Conheceu a arte da imagem através do cinema, a arte do som através do radio, a arte de fotografar através da fotografia colorida, a arte da pintura e da música através dos impressionistas. O espírito europeu estava elevado e com ele todos os sentidos que instigavam a produção cultural.

Foi vital a estabilidade política e o desenvolvimento europeu para esse florescimento cultural da "belle époque". Tanto que foi surgir a I Guerra Mundial, em 1914,  para a "belle époque" se congelar no tempo. Tornando-se passado.

Retomando o tema do impressionismo, existiu uma semelhança incrível entre a pintura e a música daquela época. Podemos comparar as telas de Renoir com as composições, ditas posteriormente, impressionistas de Debussy (1862-1918), pois originalmente o termo impressionismo  foi aplicado somente na pintura. Na música não falamos de manchas de cores, mas sim de manchas sonoras, de alusões poéticas. Tanto a música como a pintura geram impressões.

A música impressionista é caracterizada por uma sucessão livre e independente de acordes. Da mesma forma que os pintores privilegiam os tons puros (cores primárias), os compositores impressionistas privilegiam os timbres em estado puro (sem sustenidos e bemóis).

Dizia Debussy, o pai da música moderna, "não se deve tomar o título geral no sentido habitual que assume em  música , e sim no que abrange as várias impressões e os especiais efeitos de luz que a palavra implica".

Na obra de Debussy, a música libertou-se dos cânones tradicionais, das repetições e das cadências rítmicas. Deu excepcional importância aos acordes isolados, aos timbres, às pausas e ao contraste entre registros. Desenvolveu novas escalas, arranjos de orquestra em "blocos" e "jorros" de som, em vez de melodia ou contraponto precisos, além de novos modos de tocar o piano. Não precisou de orquestras enormes como Berlioz ou Richard Strauss (1899), Estampes (1903) e L´Isle joyeuse (1904).

Embora tenha sido um homem da belle époque e da boa vida, foi um grande inovador, um revolucionário. Fez música diferente de qualquer outra anterior.


Debussy

1894 - 1920

1894: Billboard is launched as a monthly publication in Cincinnati, Ohio. Well, it wasn't exactly "Billboard." The magazine that was first published on Nov. 1, 1894, was called Billboard Advertising. Launched by two young partners -- William H. Donaldson and James H. Hennegan -- whose families were in the printing business, Billboard Advertising was dedicated to serving the needs of outdoor advertisers, poster printers and bill posters. more »



1895: Ragtime icon Scott Joplin, the son of a former slave, sells his first two songs, "Please Say You Will" and "A Picture of Her Face." In 1899, he sells his best-known piece, "Maple Leaf Rag," to John Stark & Son, a Sedalia, Mo., music publisher. He went on to become the leading composer of ragtime, writing more than 500 pieces of music.


1901: Guglielmo Marconi, a year after taking out a patent for his "tuned or syntonic telegraphy," transmits wireless signals 2,100 miles across the Atlantic. He is awarded the Nobel Prize for Physics eight years later; and music gets a new way to be heard by thousands and thousands of geographically separated people at one time.


1902: Rising star tenor Enrico Caruso, age 30, records 10 arias for the Gramophone Company's Red Label imprint. He goes on to be an international phenomenon, earning $2 million from gramophone recordings alone before his death in 1921.



1909: Cornet player William Christopher (W.C.) Handy borrows a tune from an itinerant guitarist and pens the political campaign song "Boss Crump," which later becomes "The Memphis Blues," published in 1912. It would flame a craze for the blues and later become a jazz standard. Handy followed with another destined-to-be jazz classic, "The St. Louis Blues." In 1921 Handy and Harry Pace would open the first black-owned record company, Black Swan Records (originally the Pace Phonograph Co.), in Harlem, New York.


1913: Igor Stravinsky's maverick ballet The Rite of Spring (written for Sergei Diaghilev's Ballets Russes, choreographed by Vaslav Najinsky and conducted by Pierre Monteux) premieres in Paris. The work's modern sound and provocative subject matter cause a near-riot at the theater.


1914: The American Society of Composers, Authors and Publishers (ASCAP) is formed by a group of music creators to license and collect royalties for the public performance of compositions. Membership in America's first performing rights organization eventually grows to more than 190,000, representing about 7.5
million songs.