Volta da França

O inesquecível Tour de 2005 teve início em 2 de julho, contou com a participação de 21 equipes com 9 atletas cada, totalizando 189 corredores. Foram 21 etapas, sendo a largada na cidade de Fromentine com um contra-relógio e a chegada da última etapa em Paris, totalizando 3.608 quilometros, disputados entre contra-relógios, individuais e por equipes, e resistência em pelotão tradicional.

Pela 7ª vez em sua carreira, o texano Lance Armstrong, venceu o Tour de France. Lance, acostumado com montanhas, perfeito em contra-relógios e longas distâncias, liderou a competição por 17 etapas e a camisa amarela, utilizada pelo líder da competição, já estava ficando ensinada. Lance também quebrou o récorde de vezes em que um ciclista usou a camisa amarela, de 162 etapas que disputou desde seu primeiro dia com a camisa amarela, Armstrong ganhou 21 delas.

A história da vida desse fenômeno do ciclismo, com 27 anos de idade na época e Campeão Olímpico Americano provou que existe vida depois do câncer. Ele havia participado do Tour de France antes, ganho etapas, é verdade, mas a vitória na sua primeira aparição desde que derrotara a doença em 1999, era um triunfo do espírito de luta.

Agora com 33 anos ele ofuscou os esforços dos grandes ciclistas da história na corrida mais importante do mundo. Quando Armstrong percorreu pela última vez a famosa Avenida Champs Elysées ele estabeleceu um novo parâmetro. Vencer 6 vezes foi um desafio quase inatingível. Jacques Anquetil, Eddy Merckx, Bernard Hinault e Miguel Indurain não conseguiram atingir esta marca, o mero texano que quase morrera de câncer, foi o escolhido pelos deuses para conquistar tal feito.

E consagrando-se definitivamente, este ano Armstrong encerrou sua carreira profissional vencendo pela 7ª vez a competição de ciclismo mais valorosa do mundo, o Tour de France. Domingo, 24 de julho é o Dia de Lance Armstrong. Dia que marca o fim de uma Era.

Etapas

O 92º Tour de France foi marcado por exames anti-doping, durante a competição mais de 200 atletas foram escalados para o exame e apenas Evgeni Petrov, da equipe Lampre, foi impedido de competir. O testes eram surpresa e ocorreram durante toda a competição, convocando atletas aleatórios, o atleta que apresentasse taxa de glóbulos vermelhos acima de 50% estaria cortado da competição.

1ª etapa - No primeiro dia de Tour, a prova foi disputada em contra-relógio individual (CRI), e Armstrong já mostrava o desfecho da competição. Armstong ficou em 2º lugar à 2 segundos de diferença do vencedor da 1ª etapa, seu compatriota Dave Zabriskie. Mesmo vencendo o CRI, Zabriskie comentou "Sou Dave Zabriskie. E estou feliz com isso", fazendo referência ao preparo físico e mental de Armstong, considerado por Zabriskie, favorito na competição.

2ª etapa - A primeira etapa de estrada da competição terminou com a belíssima vitória de Tom Boonen. A altimetria plana e a presença de Tom Boonen no pelotão, facilitaram a previsão do resultado, O belga de 24 anos foi perfeito no momento da arrancada final e chegou à vitória superando Thor Hushovd and Robbie McEwen. O brasileiro Luciano Pagliarini conquistou a 5ª colocação nesta etapa, conseguindo o maior resultado de um brasileiro em uma edição do Tour de France. Armstrong terminou na 63ª posição.

3ª etapa - Outra etapa de estrada, quando o pelotão chegou na famosa Avenida de Grammont em Tours, todos os sprinters estavam bem colocados para buscar a vitória, mas Boonen desmoralizou a todos nos metros finais dos 212,5 quilometros da etapa. Boonen vencia sua 2ª etapa do Tour e disparava na liderança. Esta etapa foi marcada por uma atitude perigosa de McEwen, o australiano usou sua cabeça para tentar direcionar O’Grady para fora da sua linha e abrir espaço para se mover, colocando O’Grady em risco e consequentemente todo pelotão. Com essa atitude, a direção da prova penalizou McEwen atribuindo a ele a última colocação na etapa. Pagliarini terminou a etapa em 14º ficando em 118º na geral. Armstong terminou em 87º.

4ª etapa - "O Contra Relógio por tempo é incrivemente difícil no final. Todos estão no limite", disse Lance Armstrong minutos após a conquista da liderança geral do Tour de France. Armstong falou sobre a falta de sorte com que terminou a jornada de Dave Zabriskie com a Camisa Amarela. O ciclista da CSC levou um tombo feio a menos de 2 km para o final dos 67,5 km do Contra Relógio por tempo. Este dia foi o marco para a vitória de Armstrong, que ficou com a camisa amarela desta etapa até o final, com excessão da 9ª etapa. O brasileiro terminou a prova em 62º e subiu na classificação geral para a 84ª posição.

5ª etapa - Robbie McEwen vence a primeira superando Tom Boonen. As etapas de resistência em estrada estavam seguindo a mesma fórmula: um grupo de ciclistas escapa cedo e, por volta da metade do caminho as equipes Davitamon-Lotto e Quickstep-Innergetic vão para a cabeça do pelotão e tomam a iniciativa de começar a perseguição dos fugitivos para fazer o sprint final com pelotão completo. Então Tom Boonen explode para liderança. Entretanto, houve uma variação no tema, Robbie McEwen manteve a compostura e seguiu o belga até a linha de chegada e nos 25 metros finais foi para a esquerda, pedalou forte e empurrou a bicicleta à frente no momento exato. Armstrong manteve a camisa amarela ficando na 45ª posição. Pagliarini terminou em 50º e subiu uma posição na geral ficando em 83º.

6ª etapa - Caos instaurado no quilometro final leva Lorenzo à vitória. Lorenzo Bernucci estava no lugar certo na hora certa e conseguiu o melhor resultado de seus quatro anos de carreira. Ele pode não ter sido o ciclista mais forte, mas com certeza foi o mais sortudo. A 900 metros da chegada, na última curva, o líder da etapa Christophe Mengin perde o controle de sua bicicleta e bate contra a arquibancada ficando estirado a meio fio enquanto Lorenzo passa e sorri para a vitória. Muitos outros atletas caíram nesta curva e o caos foi instaurado. Lance mateve a camisa amarela ficando com a 32ª posição. Pagliarini fez um ruim 143º e caiu na geral para 134º colocado. Era o ínicio do fim de Pagliarini.

7ª etapa - McEwen vence sprintando entre um extenso pelotão e tenta provar à todos que é o melhor sprinter da competição. Com um trabalho de equipe bem focado, McEwen entrou no quilometro final pelo lado direito da rua e aproveitou de sua força física para garantir a vitória. "Eu duvido muito que ainda possa vencer", disse McEwen sobre a competição de pontos. "Eu não preciso da camisa verde para provar que sou o melhor sprinter. Não vou mais me concentrar nela; vou me concentrar em ganhar as etapas." Pagliarini fez um belo 12º mas não subiu muito na geral ficando em 132º. Armstong mantinha a camisa amarela terminando a etapa em 53º.

8ª etapa - O primeiro dia nas montanhas apenas nos antecipou o que ainda está por vir. E a equipe T-Mobile imediatamente começou a cumprir a promessa de tirar o título das mãos do favorito, Lance Armstrong. Pieter Weening fez uma corrida de recuperação, sendo ultrapassado por Andréas Kloden que passou por ele como um raio, mas ele teve sua revanche quando passou o alemão na linha de chegada e vencendo com direfença de 2 décimos de milésimo (0,0002), diferença invisível tanto a olho nú como pelo foto-finish. Armstrong continuou como líder, mas lamentou muito sobre o desempenho da equipe nesta etapa, afirmando repensar a estratégia. Armstong terminou em 20º. Pagliarini sentiu o poder das montanhas, o que não é sua especialidade e terminou a prova em 179º, caindo na geral para 178º.

9ª etapa - O dinamarquês Mickael Rasmussen, da equipe Rabobank, foi o vencedor desta etapa a 9ª etapa do Tour de France, etapa que ligou Gérardmer à Mulhouse em um total de 171km que foi realizado em 04h08 minutos, imprimindo uma velocidade média de 41,31 km/h foi a primeira vitória de Rasmussen no Tour e também tornou-se líder de montanha. Lance Armstrong perdeu a camisa amarela, após cinco etapas consecutivas, o novo líder da prova foi o alemão Jens Voigt da equipeTeam CSC que estava apenas 1 minuto atrás de Lance. Armstrong terminou em 28º. Quem também não teve muita sorte e sofreu novamente uma queda, foi um dos principais rivais de Armstrong, o alemão Jan Ullrich da equipe T-Mobile, a queda aconteceu pouco depois do início da nona etapa, socorrido por seus companheiros, Ullrich retornou rapidamente junto ao pelotão. O brasileiro, Luciano Pagliarini da equipe Liquigas Bianchi caiu de rendimento e não conseguiu terminar a prova, ele que vinha tendo bons rendimentos nas primeiras etapas. Esta foi a última etapa de Pagliarini que abandonou a competição.

10ª etapa - Lance começa a trajetória para o título nesta etapa, sendo que aqui começou as fortes subidas do Tour, Lance chegou em 2º lugar, atrás apenas de Alejandro Valverde, e desbancou o alemão Jens Voigt da equipeTeam CSC, vestindo novamente a camisa amarela. Fator inusitado nesta etapa foi que fazendeiros locais haviam planejado bloquear a pista como forma de protesto pelos ataques de lobos contra ovelhas e vacas e a organização teve de alterar o percurso. A equipe de Armstrong declara sua estratégia: "Ignore as primeiras fugas, não entre em pânico na primeira montanha, chegue no último desafio com o time completo, ditando um ritmo que seja alto o suficiente para desencorajar ataques perigosos, deixe os locais engatarem a reduzida, para separar o joio do trigo, e entregar de bandeja a vitória para Lance."

11ª etapa - Lance chega em 6º e mantêm a camisa amarela, com seu principal perseguidor chegando em 8º. Lance aumenta um pouco sua vantagem de tempo para 38 segundos de Michael Rasmussen. O vencedor foi o cazaquistão Alexadre Vinokourov da T-mobile, que agora teria o que comemorar, pois até essa etapa, as únicas notícias geradas da equipe eram tombos e quase vitórias. O destaque de hoje, fora as grandes montanhas escaladas, foi mais um caso de doping, Dario Frigo da equipe Fassa Bortolo foi preso por posse de EPO, um dia antes sua esposa também foi detida pela posse da mesma substância. Frigo ocupava atualmente o 52º lugar da classificação geral do Tour.

12ª etapa - Os franceses tiveram motivos de sobra para comemorar, David Moncoutié da equipe Cofidis conseguiu uma vitória invejável, deixando o pelotão a mais de 10 minutos de diferença. Além de Moncoutié, mais 2 franceses ficaram entre as 5 posições. Os ciclistas belga Tom Boonen e espanhol Manuel Beltrán, abandonaram a disputa da Volta da França. Eles não largaram nesta quinta-feira na 12ª etapa, de 187 km de distância, entre Briancon e Digne-les-Bains. Boonen caiu na 11ª etapa e não largou nesta, Beltrán da Discovery sofreu um tombo na primeira subida da etapa e desistiu logo no início. Boonen era o dono da camisa verde. Lance manteve a camisa amarela chegando na 41ª posição.

13ª etapa - Robbie McEwen, da equipe Dayitamon-Lotto, venceu a 13ª etapa do Tour de France, sua terceira vitória nesta edição. Robbie McEwen, iniciou esta etapa quentíssima na terceira colocação na classificação por pontos e a topografia plana da etapa seria ideal para um sprint final do pelotão. Alejandro Valverde, vencedor da 10ª etapa da Volta da França, disputada em Courchevel, desistiu da prova nesta sexta-feira, devido a uma tendinite no joelho. E Lance, novamente manteve a camisa amarela terminando a etapa em 33º.

14ª etapa - Lance Armstrong chegou em 2º nesta etapa entre Agde e Aux Domaines, e aumentou a diferença sobre os rivais na classificação geral da competição em 1m41s para Michael Rasmussen. O vencedor foi o austríaco Georg Totschnig, que percorreu os 220,3 km da etapa em 5h43min43s, 56s à frente do hexacampeão. Desde 1931 nenhum ciclista austríaco ganhava uma etapa do Tour, mas Georg quebrou o tabu.

15ª etapa - A vitória na etapa de 205,5 km ficou com o norte-americano George Hincapie, companheiro de Armstrong. Essa é a primeira vez que um parceiro do hexacampeão vence uma etapa do Tour desde 1999. "Estou em estado de choque, agora" declarou o companheiro de equipe de Lance após a vitória da etapa de montanha mais dificil do Tour de France. Jan Ullrich foi capaz de andar junto de Basso e Armstrong até a penúltima montanha, mas quando o italiano resolveu colocar mais força no pedal, na última escalada, a bateria do alemão acabou. Ullrich estava na 4ª colocação, 5 minutos atrás de Lance que sustentava a camisa amarela com diferença aumentada para 2m46s de Ivan Basso.

16ª etapa - O espanhol Oscar Pereiro da equipe Phonak venceu, ao enfrentar seu compatriota Xabier Zandio da equipe Illes Balears, o italiano Eddy Mazzoleni da equipe Lampre e o australiano Cadel Evans da equipe Davitamon Lotto. A 16ª etapa ligou Mourenx a Pau, sendo percorrida pelo espanhol em 04h38 minutos e um total de 180,5 km. Armstrong aparentemente apenas administrou sua colocação chegou em 36ª posição, mantendo o mesmo tempo de 02m46 segundos sobre o vice-lider, Ivan Basso. Fator deplorável ocorreu nesta etapa, pois 24 horas antes do líder passar por Aubisque, um carro atropelou seis ciclistas da equipe feminina da Austrália que estavam treinando na Alemanha, Amy Gilett morreu no local.

17ª etapa - O Italiano Paolo Savoldelli da equipe Discovery Channel, venceu nos últimos 100 metros da linha de chegada. Savoldelli, no sprint ultrapassou o Kurt-Asle Arvesen da CSC. Armstrong, como de costume, chegou junto ao pelotão mantendo a camisa amarela, ficando em 23º. O alemão Andreas Kloeden (T-Mobile), décimo primeiro da classificação geral da Volta da França, abandonou nesta quarta-feira a prova ao iniciar a 17ª etapa e depois de ter sofrido uma queda na terça-feira. Ullrich ainda acreditava que a corrida não estava ganha, estando a mais de 6 minutos atrás de Armstrong, sua única chance de se aproximar seu carrasco seria no CRI do penúltimo dia.

18º etapa - Marcos Serrano da equipe Liberty Seguros, foi o vencedor da 18ª etapa do Tour de France, ligando Albi a Mende com percurso de 189km percorrido em 04h37 minutos, imprimindo uma velocidade média de 40,85 km/h. Armstrong já apontava como vencedor desde esta etapa, administrando bem sua vantagem conquistada de 2m46 segundos sobre o vice-lider, o italiano Ivan Basso. A partir desta etapa, apenas um tombo ou uma notória derrota de Lance no CRI da 20ª etapa poderia tirar a vitória de Lance.

19ª etapa - O italiano Giuseppe Gerini da equipe T-Mobile, venceu garantindo sua vitória em uma fuga sem oposição, imprimindo uma velocidade média de 43,22 km/h, o italiano Guerini percorreu os 153,5 km ligando as cidades de Issoire e Lê Puy em Velay em 3h33 minutos. Lance chegou a mais de 4 minutos do italiano, junto ao pelotão, mantendo assim a camisa amarela, conquistando a 56ª colocação nesta etapa. O CRI da 20ª etapa realmente perturbava os repórteres, uma pergunta que não se calou: Quem estará ao lado de Lance no pódio em Paris daqui a dois dias?

20ª etapa - O CRI de Armstrong deixou uma linda conclusão para uma carreira dominante. Lance fez de tudo no Tour de France, mas este ano a corrida teria parecido incompleta se ele não tivesse vencido nenhuma etapa sozinho. Depois de 55,5 km Lance foi sozinho ao pódio para celebrar o que foi a sua última vitória em uma etapa, da sua vida. Ivan Basso fazendo o 2º melhor tempo no CRI, praticamente se garantiu na 2ª colocação do Tour de 2005. Ullrich, falastrão, consegiu subir uma posição na geral faturando a 4ª colocação desta 20ª etapa.

21ª etapa - Paris tremeu ! O título coroa e sela a carreira de um dos mais extraordinários ciclistas de todos os tempos, que durante sua trajetória superou um câncer no testículo e se despediu nesse dia do esporte. O campeão cruzou tranquilamente a linha de chegada no meio do pelotão, no fim do último estágio de 144,5 quilômetros, na Champs Elysees, terminando na cômoda 118ª posição. No pódio o ciclista olhou para o céu enquanto o hino norte-americano era tocado para ele pela sétima e última vez. Nestes sete anos, Armstrong ajudou o cliclismo a passar de um esporte folclórico e tradicional para um que é moderno, profissional e global.

__________________________________________

Há nove anos, talvez a maioria dos norte-americanos nem fizesse idéia de quem seria Lance Armstrong. Hoje, mesmo quem não sabe nada de ciclismo conhece sua história de vida, suas vitórias na Volta da França e o frenesi causado pelas pulseiras amarelas LiveStrong. A revista Forbes o colocou em 15 lugar na lista deste ano das cem celebridades mais poderosas do mundo. Vitorioso na luta contra o câncer, Lance é namorado da cantora de rock Sheryl Crow, e já arrecadou mais de US$ 51 milhôes, além de fazer o ciclismo voltar a ficar forte nos Estados Unidos, conforme atestado por Andy Lee, porta-voz da federação nacional de ciclismo.

Classificação Final :

01° Lance Armstrong (EUA)
02° Ivan Basso (ITA)
03° Jan Ullrich (ALE)
04° Francisco Mancebo (ESP)
05° Alexandre Vinokourov (CAZ)
06° Levi Leipheimer (EUA)
07° Michael Rasmussen (DIN)
08° Cadel Evans (AUS)
09° Floyd Landis (EUA)
10° Oscar Pereiro Sio (ESP)
11° Christophe Moreau (FRA)
12° Yaroslav Popovych (UCR)
13° Eddy Mazzoleni (ITA)
14° George Hincapie (EUA)
15° Haimar Zubeldia (ESP)
16° Jörg Jaksche (ALE)
17° Bobby Julich (EUA)
18° Oscar Sevilla (ESP)
19° Andrei Kashechkin (CAZ)
20° Giuseppe Guerini (ITA)

Fonte : www.letour.fr

Home
Links




Esportes / Matérias: Esportes Radicais / Skate | Eurocopa | F1 - Operação de Guerra | Federer | Grandes Esquadrões | Lewis Hamilton | M. Schumacher | Marilson dos Santos | Origem do Tenis | Rei Pelé | São Silvestre | Schalke 04 | Turfe | Volta da França | F1 - Raikkonen Campeão | Hamilton Campeão | Vancouver 2010 | Copa do Mundo 2010