A cultura disco teve sua gênese em pequenos clubes no Village, em Nova York, no início da década de 70. Na época (e ainda hoje), o bairro era o principal reduto de artistas, alternativos, intelectuais de esquerda e descolados. Ao se reunirem para dançar em boates como o Loft, romperam com a estética e filosofia do movimento hippie.

A música criada na Filadélfia pelos produtores Leon Huff e Kenny Gamble, que conjugava uma batida irresistivelmente dançante, com letras que falavam sobre liberdade e a vida nas ruas das grandes cidades, tornou-se a trilha sonora predileta dos anos 70.

A disco music era diferente do rock composto e executado nos anos 60 por significar (apesar das muitas exceções) um retorno da influência dos produtores, que faziam contratos curtos, verdadeiros aluguéis de músicos, para produzirem sucessos para artistas diferentes, cujo papel era simplesmente o de cantar e divulgar as músicas.