En 1987 a meca do cinema, Hollywood, colocou-a na calçada da fama. Três anos depois a Rua Oito de Miami passou a se chamar "Celia Cruz Way" e, em 1991, essa cidade também lhe deu uma medalha de honra.

A década de 90 marcou um capítulo muito especial de sua trajetória. Nesta década a Instituição Smithsonian lhe outorgou o Prêmio Êxito de Vida; a República da Colômbia lhe deu a Medalha Presidencial em Artes; recebeu o Prêmio Êxito de Vida do prestigioso Hispanic Heritage Awards e a Cidade de São Francisco declarou o dia 25 de outubro de 1997, “El día de Celia Cruz en San Francisco”. Em 2000 a conceituada revista Billboard (considerada "a Bíblia" da industria) lhe rendeu um tributo especial pelos seus 50 anos de carreira.

Mas sem dúvida um dos momentos mais importantes da sua vida foi quando em 1994 recebeu das mãos do presidente dos Estados Unidos, Bill Clinton, a mais alta honra que este país concede no campo das artes: o National Endowement for the Arts, na Casa Branca.

Célia Cruz e Quincy Jones